Faço como tu: a imitação dos adultos nas crianças

As crianças adoram imitar as atividades quotidianas dos pais e empenham-se totalmente nesta tarefa.

Faço como tu

Para a criança brincar não é só diversão, mas uma atividade essencial para se conhecer a si própria e ao ambiente que a rodeia, a partir das primeiras explorações dos objetos até ao conhecimento consciente da realidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A importância de dar um bom exemplo

A construção da realidade passa também pelo processo de imitação. A criança, durante o segundo ano de vida, começa a reproduzir as situações com que contacta todos os dias, interpreta com criatividade o ambiente familiar, adora aventurar-se na imitação das atividades dos adultos e prefere os brinquedos que simulam o mundo dos “mais crescidos”.

A mãe na cozinha que está a preparar o jantar, o mecânico que arranja o carro do pai, o carpinteiro que renova os móveis dos avós, são exemplos irresistíveis de imitação. A criança gosta de interpretar estes papéis e até se entretém a limpar o pó dos móveis de casa, arranjar pequenos objetos ou regar as rosas, tão focada no “trabalho” quão desajeitada e engraçada a quem observa.

Todos estes estímulos são ótimos para o desenvolvimento cognitivo da criança e para o processo de construção da sua imagem e identidade.

 

É importante escolher o brinquedo certo

Os brinquedos que imitam os objetos utilizados pelos adultos são, portanto, ideais nesta fase e as crianças gostam muito deles.

Neste momento em que as crianças têm uma grande capacidade de apanhar o som da linguagem, é a altura ideal para propor brinquedos bilingues que estimulam estes processos de imitação, mas também os ajudam a familiarizar-se com as primeiras palavras de uma língua estrangeira, num contexto engraçado e agradável.