Não só peito

Embora as grandes vantagens da amamentação sejam bem conhecidas, há situações em que as mães são forçadas ou preferem recorrer ao aleitamento com biberão.

file

Se o bebé tiver de ser alimentado com biberão, é essencial que a tetina respeite a sua fisiologia, isto é a naturalidade da sucção. Deste modo, tem de ser extremamente macia, elástica e extensível, de modo a não dificultar qualquer movimento da boca ou da língua do bebé durante o aleitamento, como se ele estivesse a mamar. Além disso, uma boa tetina tem de respeitar a forma como o bebé chucha e engole, o que muda e evolui ao longo dos meses, conforme foi provado cientificamente neste domínio.

 

De facto, o mecanismo de deglutição do bebé é um processo dinâmico em constante evolução: na realidade, ficou provado que até aos seis meses, durante o aleitamento, o bebé mantém a boca bem aberta, fecha os lábios sobre o mamilo (ou a tetina), abre e fecha a boca, fazendo deslizar a língua para a frente e para trás de modo a levar o leite para a parte de trás da boca e engoli-lo. Nesta idade, convém usar uma tetina muito extensível, cujo formato seja largo e arredondado, para que a boca do bebé fique bem aberta. No entanto, após os seis meses, os lábios do bebé ficam mais fechados e a língua mexe-se de forma a criar uma onda que ajude à sucção (aspiração) e à deglutição do leite.